As Rotas Urbanas Interculturais “Migrantour”

As Rotas Urbanas Interculturais – Migrantour consistem em visitas guiadas no bairro da Mouraria por guias migrantes, permitindo a cidadãos oriundos de países terceiros e da europa não comunitária mostrarem os bairros onde escolheram viver, tal como eles os vêm – convidando todos os que por lá passam a ver as ruas com novos olhares e a escutar as suas histórias. Foram dinamizadas 14 visitas guiadas Migrantour, no âmbito do projeto Desafios para a Cidadania Global, com o intuito de aumentar a compreensão das comunidades recetoras na interação dos migrantes, desvendando a diversidade cultural existente na cidade e olhando para as migrações como motor de desenvolvimento local e global.

Dê uma espreitadela neste vídeo que revela um pouco destas visitas fantásticas!

Advertisement

Concurso “Migrações e Cidadania Global”

Qual o papel das Organizações, dos Estados e dos Cidadãos na abordagem ao tema das Migrações? Este é um tema que tem levantando a nível nacional e internacional um intenso debate sobre qual o papel de cada um de nós na abordagem a esta questão.
Para os parceiros do projeto “Desafios para a Cidadania Global: As migrações como pilar para a construção de sociedades mais justas, pacíficas, tolerantes e inclusivas”, as migrações são um dos motores do processo de Desenvolvimento que se quer mais digno e mais justo. Quando se fala em Migrações, não falamos em quotas, falamos em pessoas. Partimos da certeza de que as migrações são o pilar para a construção de sociedades mais justas, pacíficas, tolerantes e inclusivas.
É na construção desta sociedade, em que a Agenda 2030 para o Desenvolvimento está empenhada, que foi lançado o concurso “Migrações e Cidadania Global” que desafiou os jovens universitários portugueses, futuros profissionais e motores de transformação social, a apresentarem uma campanha virtual de sensibilização sobre Migrações e Cidadania Global, com o objetivo de os incentivar a participar no debate e na ação em prol da cidadania global.
O concurso esteve online na página de Facebook da Associação Renovar a Mouraria, do Instituto Marquês de Valle Flôr e da Associação Par-Respostas Sociais. O prazo para envio das propostas de Desafios foi até ao dia 15 de junho de 2020.

O Regulamento do Concurso aqui.

Projeto Desafios para a Cidadania Global dá a conhecer associações de migrantes em Portugal!

A Casa do Brasil de Lisboa, Fundação Cidade de Lisboa e Associação Batoto Yetu foram as 3 associações com trabalho junto da comunidade migrante que aceitaram o desafio do projeto Desafios para a Cidadania Global de darem a conhecer o seu trabalho. Com as restrições agora impostas pela pandemia COVID-19, as suas portas não estão abertas à nossa visita in loco, mas o seu trabalho será conhecido através de um vídeo, onde as próprias apresentam as suas atividades e instalações.

Estes vídeos dão a conhecer a intervenção destas 3 entidades junto de migrantes, permitindo também conhecer melhor a realidade do seu trabalho. A oportunidade de conhecermos estas associações, permite-nos não só valorizar o seu trabalho para a garantia de sociedades mais justas e inclusivas, mas também aprofundar o conhecimento sobre o contributo das migrações para o sucesso do processo de Desenvolvimento.

Sobre as Associações

Casa do Brasil de Lisboa

É uma associação de imigrantes, com um trabalho ativo na reflexão e implementação das políticas públicas, assumindo um papel fundamental de ativismo e reivindicação de políticas igualitárias para as comunidades imigrantes em Portugal.

Fundação Cidade de Lisboa

Tem o Centro Local de Apoio à Integração de Migrantes (CLAIM), que tem como principais atividades informar, apoiar e encaminhar os migrantes (NPT) e promover e apoiar iniciativas no domínio do diálogo intercultural.

Associação Batoto Yetu

Batoto Yetu, significa “as nossas crianças” em Suaíli, está reconhecida como Associação de Apoio aos Imigrantes e Seus Descendentes. Dinamiza um Gabinete de Apoio ao Imigrante em que se concede apoio, ações de sensibilização e dinamização de atividades, tendo em vista promover os processos de integração dos cidadãos imigrantes e suas famílias.

Porta documentos!

A gestão de documentos é uma atividade maravilhosa!!! Porque são muito importantes, precisam ser arquivados de maneira segura e padronizada. Pode seguir diferentes padrões de organização: por áreas, por tipo de documentos, por disciplina, por pessoa ….
Agora imagine que consegue aliar esta atividade a um porta documentos fantástico, que vai sensibilizá-l@ para o processo de Desenvolvimento Glocal que se quer justo, digno e inclusivo, com base numa política de migrações coerente com os valores e princípios de Direitos Humanos, que junt@s promovemos?

Imprima e partilhe!!
https://documentcloud.adobe.com/link/track?uri=urn%3Aaaid%3Ascds%3AUS%3Ae5e7d4f5-1dd1-45b1-9fbd-41e02d08db6b

Marcadores de Livros!

Estes são dias de desafios, em que sozinhos sabemos que estamos acompanhados por mais de 7 mil milhões de pessoas. Estamos recolhidos em casa e no nosso interior, mas atentos a olhar o mundo. É por estes dias que a leitura pode proporcionar-nos uma viagem a outras geografias, encontrar outras pessoas e descobrir novos caminhos, novas histórias de vida. Fazer-nos sonhar, acreditar, explorar, apaixonar e adormecer.
Este marcador de livros do projeto #DesafiosparaaCidadaniaGlobal pretende acompanhá-l@ nesta viagem e sensibilizá-l@ para o processo de Desenvolvimento Glocal que se quer justo, digno e inclusivo, com base numa política de migrações coerente com os valores e princípios de Direitos Humanos, que junt@s promovemos.

Para descarregar os marcadores de livros aqui:
https://documentcloud.adobe.com/link/track?uri=urn%3Aaaid%3Ascds%3AUS%3A3dd5d350-7d97-443b-a2eb-6247ee415d5a

Jovens Universitários ativos

Vídeo produzido por Mariana Álvares, aluna da Universidade Nova de Lisboa (FCSH)

O papel dos jovens como agentes de transformação é essencial para garantir que de facto estamos alinhados com as políticas, ações e medidas que temos de adotar para promover um mundo mais digno e sustentável.
Através do projeto “Desafios para a Cidadania Global“ procurámos inspirar jovens universitários, para que de forma ativa e criativa nos apresentem ações que refletisse a sua abordagem critica ao tema das Migrações e Desenvolvimento. Apesar de factualmente sabermos que as migrações são um dos principais motores do desenvolvimento, tanto para os países de origem, como para os países de destino, a intolerância que marca ainda este tema, tem acentuado a propagação de mitos que contribuem de forma muito negativa para a promoção da dignidade e da justiça social.
Acreditamos que estas narrativas negativas podem ser desconstruídas através da ação conjunta, entre atores do desenvolvimento, e assim garantir que através do conhecimento informado e da mobilização podemos valorizar o tema das migrações e coconstruir sociedades mais justas, pacíficas, tolerantes e inclusivas.

Exposição “Desafios para a Cidadania Global”

O projeto Desafios para a Cidadania Global em colaboração com o MEF – Movimento de Expressão Fotográfica organizam um peddy paper fotográfico que desafiou todos os participantes a partilharem o seu olhar sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).
A exposição que apresentámos é o resultado do cruzamento desses olhares. Uma exposição para todos os atores do desenvolvimento, disponível à distância de clic. Descarregue a exposição e junte-se a nós na promoção de um mundo mais justo e mais digno.

Link Expo: https://documentcloud.adobe.com/link/track?uri=urn%3Aaaid%3Ascds%3AUS%3Af44d40d9-4b93-4e9f-b7db-5540986c6539
Link Disseminação: https://documentcloud.adobe.com/link/track?uri=urn%3Aaaid%3Ascds%3AUS%3A50b0f949-8bd0-4067-9972-4df33c6ae3d8

Mais informações sobre esta atividade aqui: http://www.mef.pt/mef/pedifoto-um-olhar-sobre-os-ods/

Exposição “Migrações e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável” no ISCTE-IUL

Na semana de mobilização global pelo clima, em que se multiplicam as ações pela proteção do ambiente e do nosso futuro comum, o projeto Desafios para a Cidadania GLobal com o apoio do Centro de Estudos  Internacionais do ISCTE-IUL, dinamizou a exposição “Migrações e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável“, reforçando a ligação entre a Agenda 2030 e o tema das migrações. Os migrantes estão frequentemente entre os mais afetados pelas alterações climáticas e pelos desastres naturais. Ao protegê-los de forma mais eficaz, estamos também a reforçar as respostas aos desastres e às alterações climáticas.
As migrações têm sido apontadas pela União Europeia como um dos principais motores de desenvolvimento. É através do Diálogo de Alto Nível com as Nações Unidas que se pode fazer avançar a agenda mundial sobre Migração e Desenvolvimento, e promover medidas concretas que tenham um impacto significativo na vida dos migrantes e das suas comunidades.
Para assegurar uma política de migração justa é necessário implementar políticas e instrumentos que respeitem os direitos humanos, a dignidade dos migrantes e os seus direitos fundamentais, qualquer que seja o seu estatuto jurídico. São também necessárias respostas mais coerentes sobre a relação entre alterações climáticas, degradação ambiental, emprego, educação e migração.
Porque o Desenvolvimento é uma responsabilidade partilhada, a exposição “Migrações e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, dá a conhecer alguns dos mitos e realidades sobre a ligação entre Migrações e Desenvolvimento.
A exposição “Migrações e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável” esteve patente no Edifício 2 do ISCTE-IUL.

Exposição “Migrações e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável” no IPLeiria

Desafios para a Cidadania Global, o IMVF e a Associação Renovar a Mouraria, em parceria com a Escola Superior de Educação e Ciências Sociais (ESECS) do Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria), inauguraram a exposição “Migrações e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, no átrio central da ESECS do IPLeiria. A exposição esteve patente ao público entre os dias 1 e 27 de setembro de 2019.
As migrações têm sido apontadas pela União Europeia como um dos principais motores de desenvolvimento. É através do Diálogo de Alto Nível com as Nações Unidas que se pode fazer avançar a agenda mundial sobre Migração e Desenvolvimento, e promover medidas concretas que tenham um impacto significativo na vida dos migrantes e das suas comunidades.
Para assegurar uma política de migração justa é necessário implementar políticas e instrumentos que respeitem os direitos humanos, a dignidade dos migrantes e os seus direitos fundamentais, qualquer que seja o seu estatuto jurídico. São também necessárias respostas mais coerentes sobre a relação entre alterações climáticas, degradação ambiental, emprego, educação e migração.
Porque o Desenvolvimento é uma responsabilidade partilhada, a exposição “Migrações e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, dará a conhecer alguns dos mitos e realidades sobre a ligação entre Migrações e Desenvolvimento.

Contaria ODS

Foram dinamizadas três ações de sensibilização que se debruçaram na arte de contar histórias, de criar novas partilhas, novos laços e experienciar novos deslumbramentos, a Contaria ODS, contar histórias dentro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável! O desafio lançado na Contaria ODS foi refletir sobre as Migrações como pilar para a construção de sociedades mais justas, pacíficas, tolerantes e inclusivas.

Alguns dos registos das Contarias ODS

Quem disse que os ODS não tem pernas para andar?

No dia de ação pela justiça climática, e lembrando que o ambiente está interligado com todas as outras dimensões do desenvolvimento, a equipa do projeto caminhou com cada um dos ODS até à Câmara Municipal de Lisboa, relembrando de modo que todos os objetivos estão interligados, e o que o papel dos municípios no seu alcance é essencial. Os cubos que compõem a exposição “Vamos Todos” foram depois expostos no decorrer do seminário “A Travessia – Mulheres e Meninas em busca de refúgio”.

O resultado da caminhada pode ser visto aqui!